A ferramenta já conta com mais de 200 sugestões de novos produtos. Entre as ideias em desenvolvimento estão palitos de picolé e forminhas de cupcake comestíveis

Lançada no começo do ano, a plataforma de inovação aberta Planta foi criada com o objetivo de reunir ideias inovadoras de produtos voltados ao mercado de alimentos e bebidas, funcionando como uma ponte entre o desejo do consumidor e as indústrias alimentícias, que tornarão viável o desenvolvimento dessas ideias e sua eventual chegada ao mercado.

Aberto a qualquer pessoa que tenha uma sugestão criativa nesse sentido, o projeto tem uma preocupação especial em ganhar a adesão dos universitários, sobretudo de cursos como engenharia de alimentos, química, gastronomia, entre outros relacionados ao ramo da alimentação, considerando o alto potencial de ideias assertivas que podem emergir da participação desse público.

Idealizada pela Duas Rodas, empresa brasileira de fabricação de ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas, a plataforma já conta hoje com 235 ideias postadas por consumidores de perfis diversos: profissionais do segmento de alimentação, estudantes, além de pessoas que, embora sejam leigas no assunto, também contribuíram com sugestões inusitadas, como, por exemplo, uma mistura em sachê para a produção de smoothies, um novo tipo de sorvete para ser consumido quente, palitos de picolé comestíveis, forminhas de cupcakes aromatizadas e também comestíveis, entre tantas outras.

Para ernando Jesus, executivo responsável pelo projeto, a plataforma é um canal entre o mundo acadêmico e o corporativo, dando a possibilidade de os universitários desenvolverem projetos dentro de empresas do setor de alimentos, que podem vir a precisar da sua capacidade técnica no desenvolvimento das ideias sugeridas. "Isso significa que um estudante pode ter sua ideia transformada em realidade nas prateleiras dos supermercados no futuro, o que representa uma grande oportunidade", completa o executivo.

Para conhecer mais sobre a Planta e enviar ideias, basta acessar o site.

Fonte: Segs