Aos 125 anos de funcionamento, o empório Casa Godinho, no centro de São Paulo, foi tombado como bem imaterial pelo Cronpresp(conselho municipal de preservação do patrimônio histórico).

Apesar de ser um armazém de secos e molhados, o local é famoso por suas empadinhas. Ao todo, são vendidos oito sabores, a R$ 5 cada um: camarão, frango, palmito, bacalhau, alheira, alho-poró, carne-seca e linguiça blumenau.

Mas o local também é conhecido pelo bacalhau que vende. O mais nobre é o do tipo "gadus morhua" (R$ 69,90 o quilo limpo e sem pele). Mais caro, o lombo do pescado seco sai a R$ 119,90 o quilo.

O empório foi fundado em 1888 na praça da Sé (centro de São Paulo) e está na rua Líbero Badaró desde 1924 (a princípio, era uma filial). A casa faz parte da memória afetiva de gerações de paulistanos, e essa foi a justificativa do conselho pelo tombamento.

O atendimento é feito atrás de um grande balcão antigo. Suas prateleiras de madeira do século 19 guardam ainda espaço para azeites, vinhos, destilados, frutas secas, conservas e embutidos.

Atenção: a casa não abre aos fins de semana, só de segunda a sexta, das 7h às 19h.

Informe-se sobre o local

 

Zé Carlos Barretta/Folhapress
Casa Godinho, fundada em 1888, foi tombada como patrimônio imaterial de São Paulo
Casa Godinho foi tombada como patrimônio imaterial de São Paulo; local é famoso pelo bacalhau e pelas empadas

Fonte: Folha de São Paulo