ba.abra

NOTA PÚBLICA ABRASEL NA BAHIA

A ABRASEL - Associação Brasileira de Bares e Restaurantes - Seccional Bahia, vem a público repudiar e questionar a mudança “parcial” para fase amarela, implantada pela prefeitura municipal de Salvador. Onde o termo “parcial” se tornou um dispositivo para imposição de uma restrição seletiva e injusta ao segmento de bares e restaurantes.

O compromisso firmado pela gestão municipal há pouco mais de 30 (trinta) dias, implicaria num funcionamento até às 23h, o que não ocorreu. Da mesma forma como todas as outras atividades empresariais, investimos constantemente em protocolos sanitários, proporcionando segurança em ofertar um ambiente adequado ao enfrentamento da pandemia. Porém, mais uma vez seremos penalizados, assistindo à retomada dos mais diversos setores, enquanto somos condenados à falência.

Numa sucinta análise das medidas impostas, constatamos:

  1. As demais atividades empresariais estão sendo contempladas com horários livres, ou adequados a sua forma de funcionamento, respeitando os hábitos de consumo e de comercialização;
  1. Nossa atividade consiste em alimentar pessoas, que seguem comportamentos de consumo em função de seus hábitos e necessidades fisiológicas, portanto não submetidas a decretos que desrespeitem esses princípios básicos;
  1. O horário de funcionamento como está, na prática impõe aos bares e restaurantes apenas 04 (quatro) horas diárias efetivas de funcionamento. Desrespeitando todo investimento em pessoas e estrutura de atendimento, para no mínimo o dobro de horas. E assim limitando enormemente nosso direito de trabalhar, e manter o emprego e renda de milhares de pessoas. Assim, enquanto todas as atividades funcionam efetivamente por um período de 8 a 10h diárias, somos penalizados a trabalhar efetivamente durante apenas metade deste período;

Até então nunca foram apresentados estudos científicos de causa e efeito, relacionados ao toque de recolher e/ou consumo de bebidas alcóolicas aos finais de semana nos bares e restaurantes. Portanto alertamos aos gestores públicos que sempre se orientem pela ciência. Respeitando as características de cada atividade empresarial para construirmos condições reais de recuperação da economia. E não utilizem a mesma apenas em situações de conveniência.

Reivindicamos ao governador Rui Costa e ao prefeito Bruno Reis, a revisão imediata do horário imposto pelo toque de recolher, passando para a meia noite, nessa fase atual. Temos a convicção de que a ampliação do horário de funcionamento em 02 (duas) horas, aliado ao respeito de todos os protocolos de segurança adotados desde março de 2020, trará benefícios a todos no enfrentamento e combate à pandemia. Assim como ocorreu em agosto de 2020, quando a atividade de bares e restaurantes foi liberada, e os números da pandemia continuaram em declínio.

As intervenções do Estado até então, estão causando um efeito econômico que também ameaça vidas. Impondo a ausência de recursos para atender as necessidades básicas de se alimentar, vestir, morar, gozar de saúde física e mental. Resultando na perda da dignidade e do emprego, que somente neste setor, afeta diretamente a vida de 280 mil famílias em todo o estado.

Cada vez mais precisamos despertar para uma convivência segura e responsável com a pandemia, preservando vidas e recuperando a economia!

ABRASEL NA BAHIA

Comentários