ba.abra

O evento gastronômico, que este ano, ocorre entre 9 e 18 de outubro, seguirá normas especiais em função da pandemia.

A 5ª edição do Festival da Lagosta da Costa do Descobrimento, que acontece todos os anos em Santo André e em outras localidades de Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia, será realizado entre 9 e 18 de outubro e, e antes de mais nada, desde já para garantir a segurança dos visitantes, em função do coronavírus, terá algumas mudanças.

Em primeiro lugar é que cada um dos restaurantes participantes seguirá um protocolo especial para preservar a saúde dos frequentadores e funcionários.

Nesse sentido a votação será feita pelas pessoas e não por um júri fixo. Em outras palavras a escolha da melhor lagosta e atendimento será feita por meio de um QR Code. Além disso, o festival terá um aplicativo.

Do mesmo modo os frequentadores poderão se deliciar com os sabores locais e conhecer o potencial gastronômico do povoado com a certeza de que estarão seguros.

Ao mesmo tempo, contribuindo para movimentar a economia da região, destaca Léa Penteado, idealizadora do festival.

Segundo ela, embora essa edição traga algumas novidades,em outras palavras. ou seja, a estrela dos pratos continua sendo a lagosta.

Esse festival é uma oportunidade para os apreciadores desse crustáceo se deliciarem e experimentarem diferentes menus construídos especialmente para o evento.

São sabores da alta gastronomia com pitadas baianas a preços acessíveis, ressalta.

De acordo com os organizadores, este festival, os valores dos pratos variam de R$ 40 a R$ 80 por pessoa e entre os restaurantes participantes estão:

Cabana A Praia Branca, Cabana Hibisco, Cabana Macuco, Luz de Minas Bistrô, Maria Nilza Restaurante, Maroca Praia, Restaurante Caju (Campo Bahia Hotel Villas Spa), Restaurante Gaivota, Restaurante Pitinga (Vila Angatu Eco Resort Spa), Restaurante Recanto do Sossego e Restaurante Trigo.

Ao todo, serão 11 opções de pratos, entre eles:

Lagosta das índias, feita na folha de bananeira recheada com ingredientes tipicamente indígenas; Lagosta grelhada na manteiga de garrafa; e Lagosta cozida com água e nata de coco verde.

O evento tem apoio da Katz Construções, Associação Brasileira de Bares & Restaurantes (Abrasel), serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Bahia (Sebrae), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-BA) e a Secretaria Municipal de Turismo de Santa Cruz Cabrália.

Foto-Well-Souza-Restaurante-Maroca-Praia-600x400

Segurança

Todos os restaurantes participantes do festival receberão apenas 50% da sua capacidade de lotação, para garantir a distância entre os clientes e evitar a transmissão do vírus.

Além disso, as pessoas terão a temperatura monitorada antes de entrar e para ingressar nos espaços será exigido o uso de máscara. A utilização de álcool em gel também será obrigatória na entrada e cada mesa passa por uma desinfecção após o uso, antes de receber o próximo cliente.

Outra forma de preservar a saúde das pessoas é que o voto será dado de forma virtual, por meio de um QR Code criado para cada prato que estará impresso no Guia do Festival. As pessoas poderão dar notas de zero a dez.

Os restaurantes vencedores serão os que obtiverem a maior soma entre as avaliações. No aplicativo, criado exclusivamente para o festival, será possível conhecer mais sobre o festival, a cidade e ainda conferir a relação dos restaurantes participantes (nome, endereço, telefone, o prato e fotos) permitindo que o consumidor selecione, analise e navegue pelo que deseja.

– Além de saborear os pratos elaborados com lagosta, os visitantes do festival que queiram conhecer e desfrutar mais da região, poderão aproveitar a ida a Santo André para fazer um passeio até a Ilha dos Doces e tomar banho de mangue, praticar mergulho ou mesmo pescar no oceano.

Também há roteiros de escunas, tanto pelo Rio João de Tiba quanto pelo Oceano Atlântico e passeios de lancha. Surf, vela, caiaque, snorkeling entre outros esportes aquáticos podem ser praticados durante a estadia no vilarejo.

Fonte: Revista Styllus

Comentários